Como montar Empresa de Fabricação de Perfumes

Como montar empresa de fabricação de perfumes de sucesso, sem cometer erros. Aprenda tudo: investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

FABRICAÇÃO DE PERFUMES

Há milhares de anos, substâncias exóticas desembarcavam nos portos egípcios vindas de lugares distantes e misteriosos: cedro do Líbano, rosas da Síria, mirra e canela da Babilônia, Etiópia, Somália, Pérsia e Índia.Como montar Empresa de Fabricação de Perfumes

Conduzidas aos templos, eram maceradas e trituradas por sacerdotes que, ao som de cânticos, testavam suas fórmulas. Persistentes, levavam meses até chegar à receita ideal da fragrância que, nas cerimônias religiosas, aproximava fiéis e deuses.

Os egípcios foram os primeiros seres humanos que se tem notícia a cultivar a arte do domínio dos cheiros da natureza. Reconheciam os efeitos dos seus perfumes no corpo e nos sentimentos dos homens e mulheres.

MERCADO DE PERFUMES

Apesar da enorme aceitação dos perfumes no mercado, nem tudo são flores: mesmo tão bem vindo, os perfumes às vezes são inacessíveis para alguns. Em sua maioria, vendidos em frascos grandes, os perfumes têm por isso seu preço elevado. Isto sem contar os importados, que além de ser mais caros ainda deixam seus consumidores um pouco escravos deles, pois estes não acabam nunca.

A partir dos fatos citados anteriormente, abre-se um grande mercado para os pequenos empreendedores que visam apresentar um produto de qualidade e diferenciado.

MATÉRIA PRIMA PARA PERFUMES

As principais matérias-primas para a fabricação do perfume são:

  • Água;
  • Álcool;
  • Corantes;
  • Substâncias aromáticas;
  • Fixadores, podem ser divididos em: Fixadores animais, vegetais e artificiais.

As matérias-primas sólidas devem ser utilizadas em soluções que variam de 5% a 50%.

O solvente mais indicado para essas substâncias sólidas é o dipropileno-glicol. A percentagem da solução vai depender de testes preliminares feitos pelo manipulador.

Algumas dessas substâncias já são vendidas em solução no comércio.MATÉRIA PRIMA PARA PERFUMES

EQUIPAMENTOS PARA FABRICAÇÃO

Para os iniciantes os equipamentos básicos são:

  • Pipetas cilíndricas de 5 a 10 cm3 para medir pequenos volumes dos componentes do perfume;
  • Provetas de 50, 100 , 250 e 500 ml (cm3) para medir volumes maiores;
  • Pipetador automático de borracha tipo Biomatic para pipetar pequenos volumes;
  • Copos de béquer de várias capacidades para misturar os componentes;
  • Baquetes de vidro para agitar as misturas;
  • Funis de vidro e papéis de filtro para as filtrações;
  • Frascos de vidro bem limpos para armazenar as composições;
  • Balança semi-analítica (duas casas decimais) para a pesagem das substâncias citadas em gramas nas receitas.

Para a produção de composições aromáticas em maior escala são necessários ainda recipientes maiores tais como os tachos.

COMO COMEÇAR

Para o inicio do empreendimento se faz necessário testar, em pequena escala, antes de partir para a manipulação de uma composição aromática. Deve-se utilizar a proporção de um para dez nos testes.

O principiante deve, gradativamente, variar as proporções indicadas na receita afim de desenvolver sua criatividade na obtenção de novas fragrâncias.

AS CASAS DE PERFUMARIA

As casas de perfumaria são os templos modernos das fragrâncias. É nos seus laboratórios que as substâncias captadas na natureza transformam-se na matéria prima dos perfumes. Misturadas e dosadas tornam-se os cheiros que darão vida e personalidade às mais de mil marcas de perfumes existentes hoje no mundo. As possibilidades de reinvenção e criação de odores nas casas de perfumaria são infinitas.
Estima-se que 50 mil odores sintéticos são inventados por ano.

CLASSIFICANDO OS PERFUMES

Artigos de perfumaria podem ser classificados como extratos finos, tríplices e duplos, extratos comuns, loções, águas-de-colônias, águas aromáticas, etc. e podem ser de qualidade inferior ou superior.

COMBINAÇÕES

Criar a fragrância perfeita é uma arte delicada. Além de combinar dezenas de matérias-primas, o perfumista acrescenta uma dose de paixão, transformando o aroma num estado de espírito. Perfumes estrangeiros lançados recentemente misturam romantismo, sofisticação, sensualidade e jovialidade.

PERFUME

Um perfume é composto de três partes:

1. NOTAS DE CABEÇA: é o primeiro aroma que se sente ao cheirar o perfume (por exemplo essências mais voláteis, como limão, laranja, bergamota, lavanda, pinho e eucalipto). Quando um perfume é muito fresco, suas notas são quase todas voláteis e seu aroma dura menos tempo;

2. NOTAS DE CORPO: é a personalidade do perfume, utilizam-se então essências menos voláteis e mais fortes. Estão entre elas: as aromáticas (tomilho), as especiarias (cravo), as florais, as químicas (aldeídos) e as amadeiradas (patchuli). O aroma permanece na pele por aproximadamente 2 horas;

3. NOTAS DE FIXAÇÃO: é o aroma que fica na pele. Usam-se normalmente resinas, essências amadeiradas e de origem animal, como o musk, o castor e o civete.

ESSÊNCIAS

Diferentes concentrações de essência determinam o preço e a intensidade do perfume.

1. EXTRATO: essências super concentradas ( entre 20% e 40%), elevam o preço do produto. Usa-se somente à noite.

2. PERFUME: ainda muito concentrado ( entre 15% e 20% de essência) também deve ser usado á noite.

3. EAU DE PARFUM : a concentração de essência varia entre 10% e 15%. Apesar de ser mais diluído, o aroma ainda é forte pode ser usado durante o dia, mas em pouca quantidade.

4. EAU DE TOILETTE : versão mais leve, com concentração entre 3% a 7%. É ideal para usar em dias quentes e até durante a prática de esportes. Eau de cologne : concentração entre 3% e 5%. É o mais suave de todos.ESSÊNCIAS

TIPOS DE FRAGRÂNCIAS

Existem fragrâncias femininas e masculinas, que são:

Fragrâncias femininas

  • Floral: composição de essências de várias flores. Pode ser simples, Quando é baseada na essência de apenas uma flor, e aldeídica ou sintética;
  • Verde: refrescante. Lembra os odores de folhas, ervas e grama recém-cortada;
  • Chipre: baseada na composição madeira-musgo. É rica, forte e tenaz;
  • Semi-oriental: une florais, especiarias e madeiras;
  • Oriental: Notas animais (almíscar e âmbar) e amadeiradas (sândalo e patchouli) tornam essa família a mais sensual e misteriosa.

Fragrâncias masculinas

  • Lavanda: quando a essência de suas flores é dominante;
  • Fougère: mistura de âmbar, bergamota, musgo de carvalho e madeira;
  • Chipre: nota baseada numa harmonia clássica de bergamota, âmbar e musgo de carvalho;
  • Aromática: tomilho, menta, alecrim e anis são algumas das ervas utilizadas;
  • Tabaco: madeira, bálsamo e ingredientes que lembram o cheiro do tabaco;
  • Madeira: patchouli, vetiver, sândalo e cedro são algumas das essências utilizadas;
  • Oriental: complexo doce, que inclui baunilha, almíscar e âmbar.

TIPOS DE FRAGRÂNCIASO PROCESSO. O início de tudo se dá no fabricante que detém as marcas encontradas no mercado. Seu departamento de pesquisa detecta as necessidades e as tendências e elabora um briefing para a casa de perfumaria, que vai desenvolver a fragrância. É nessa fase que se dá um verdadeiro processo criativo.

Com as informações do cliente, o perfumista ou nariz compõe o perfume. Imagina os elementos e o efeito de suas misturas e dosagens. Cria a fórmula que depois é testada inúmeras vezes. È um trabalho de infinitas possibilidades porque quase tudo o que cheira pode virar perfume. O odor que exala de um frasco é a combinação perfeita de até 300 elementos.

Para a preparação dos diferentes tipos de perfume, pode-se partir das chamadas essências, diluindo-as em álcool ou fazendo uma solução alcoólica de concentração desejada diretamente com os princípios aromáticos, sob a forma de óleos essenciais. Designamos por essências as misturas elaboradas com princípios aromáticos ou fixadores e, em certos casos, com corantes.

Os princípios aromáticos, empregados nas chamadas essências, podem apresentar-se sob a forma de óleos essenciais, de essências propriamente ditas ou de tinturas; os fixadores, sob forma de resina, bálsamo, etc.; e os corantes são geralmente empregados sob a forma de soluções alcoólicas. Os extratos, loções, águas-de-colônia, etc…. são soluções alcoólicas dessas essências dos princípios aromáticos.

  • Princípios Aromáticos. São empregados na proporção de 2 a 10% e a proporção justa é determinada pela intensidade de odor do principio aromático (perfumes, muito penetrantes, fortes, suaves e fracos), pela concentração do princípio aromático (óleo essencial, essência, tintura), pelo tipo de produto que se deseja preparar (perfume de toucador, para lenços, etc.) e pela classe do produto (artigo fino ou vulgar);
  • Fixadores. São usados na proporção que oscila entre 0,1 e 0,5% e precisam preencher certos requisitos, tais como: serem perfeitamente solúveis em álcool e nos princípios aromáticos; serem empregados em concentração adequada; não terem odor que contraste ou prejudique os princípios aromáticos, e serem incolores ou pouco coloridos;
  • Solventes. São empregados em proporções que integralizem 100% com a porcentagem dos princípios aromáticos e fixadores. O álcool etílico, geralmente usado como solvente, precisa obedecer a certas condições, tais como: ser puro e retificado (isento de fusel); Ter concentração adequada, usualmente de 90º a 95º; e ser incolor e inodoro. A água usada como solvente, deve ser destilada ou proveniente do processo de extração com vapor. Uma vez escolhida a combinação dos princípios aromáticos e fixadores, processa-se à diluição a frio com o álcool na concentração adequada. A solução deve ser agitada, guardada em lugar fresco e meio escuro. Se a solução apresentar-se turva, trata-se com carbonato de magnésio, filtrando-se, em seguida, em papel-filtro comum.

A fabricação de perfumes é complexa, neste caso o futuro empreendedor deve ter um conhecimento profundo do ramo.

DICAS PARA FABRICAÇÃO DE PERFUMES

1º – Na fabricação, experimentar as receitas em pequena escala (para preparar, em menor escala que a receita, dividem-se as quantidades indicadas por um número);

2º – Usar as substâncias indicadas para fabricação do perfume desejado, não as substituindo por outras mais fáceis de encontrar ou mais baratas; substituições só são aconselháveis quando se tenha comprovado a eficiência dessas essências, não resultando assim em prejuízo;

3º – As quantidades, concentrações e outras características, como a densidade do perfume, etc., devem manter-se conforme orienta a receita, podendo variar somente quando a prática e o bom-senso assim o indicarem;

4º – Os perfumes devem ser conservados em frascos bem fechados, de modo que o contato com o ar não os oxide;

5º – Os frascos de perfume devem ser guardados em locais protegidos da claridade, a fim de não provocar alterações no aroma;

6º – Querendo experimentar um perfume, é melhor vaporizá-lo nas costas da mão ou no punho, lembrando que o aroma varia de pele para pele e que esta não deve ser molhada, mas apenas salpicada;

7º – Não se deve esfregá-lo, para não mascarar o aroma;

8º – Ao cheirar, não aproximar demasiadamente o nariz, pois um bom perfume se sente a certa distância e deixa um rastro;

9º – Nunca experimentar mais que três fragrâncias ao mesmo tempo.DICAS PARA FABRICAÇÃO DE PERFUMES

Legislação Específica da fabricação de perfumes

Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento, tais como:

  • Registro na Junta Comercial;
  • Registro na Secretária da Receita Federal;
  • Registro na Secretária da Fazenda;
  • Registro na Prefeitura do Município;
  • Registro no INSS;(Somente quando não tem o CNPJ – Pessoa autônoma – Receita Federal)
  • Registro no Sindicato Patronal;

O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar seu empreendimento para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização),e também o Alvará de Funcionamento.

Além disso, deve consultar o PROCON para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990).

Algumas legislações que o futuro empreendedor deve ter conhecimento.
– LEI Nº 6.360/76 – Dispõe sobre a vigilância a que ficam sujeitos os medicamentos, as drogas, os insumos farmacêuticos e correlatos, cosméticos, saneantes e outros produtos e dá outras providências como por exemplo, requisitos para registro.

– LEI Nº 9.872/99 – Criou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, orgão responsável pela fiscalização, vinculado ao Ministério da Saúde.

O se chama de essências, perfumes, bouquets ou fragrâncias, na Legislação Brasileira, são chamados de Composição Aromática .

Para maiores informações consultar o site da ANVISA.

Entidades

ABC – Associação Brasileira de Cosmetologia
Rua Ana Catharina Randi, 25 – Jd. Petrópolis – São Paulo – (SP)
04637-130
Tel. (11) 240 5466

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária
SEPN 515, Bloco B – Edifício Ômega – Brasília – (DF)
70.770-502
Tel. (61) 448 1326 / 1327 / 1303 / 1321

ABIPLA – Assoc. Bras. Ind. Prod. De Limpeza e Afins
Av. Brig. Faria Lima, 1903 – Conj 101 – São Paulo – (SP)
01452-001
Tel. (11) 3816 3405 / 3816 2762

Fornecedores de Matéria-Prima

BRASFANTA ( Produtos emulsificantes de caráter iônico, utilizados em emulsões de água em óleo)
Alameda Santos, 745 – 12º andar – Cerqueira César – São Paulo – (SP)
01419-001
Tel. (11) 285 6500

HENKEL S/A INDÚSTRIA QUÍMICAS
Av. Das Nações Unidas, 10989 – Vila Olímpia – São Paulo – (SP)
04578-000
Tel. (11) 3848 2300

Equipamentos

AFONSO PANZA
R: 15 de novembro, 1276 – Centro – Capivari – (SP)
13360-000
Tel. (19) 491 1516

Frascos e Vidrarias

VIDRARIA ANCHIETA LTDA
Rua Evangelina, 921 – Vila Carrão – São Paulo – (SP)
03421-000
Tel. (11) 6191 0666

Endereços na Internet:

Assoc. Brasileira das Ind. Prod. Limp. e Afins: http://www.abipla.org.br
Site da ANVISA: http://www.anvisa.gov.br

Site da ABC: http://www.abc-cosmetologia.org.br/